English Version

MORADIA COM ACESSO FÁCIL É NECESSIDADE DE TODOS OS PÚBLICOS

27/04/2016

Para construtora, localização estratégica é primordial para fechar o negócio, não importa a idade do comprador

Um levantamento feito no estande de venda da construtora e incorporadora Even com 3.208 visitas, sendo 277 pessoas com idade entre 18 e 24 anos, mostrou que o item facilidade de acesso – vias de acesso, transporte público é a motivação para 12% dos jovens na hora de comprar um imóvel.

“Não é exclusividade dos jovens, percebemos uma necessidade por regiões de acesso. É muito importante que tenha uma localização estratégica, se não for perto do trabalho que seja perto do metrô, de um corredor”, diz diretor de incorporação, Marcelo Dzik.

O item casamento é o primeiro na lista de motivações dos jovens, com 39%, e sair do aluguel (18%), morar perto do trabalho é o interesse de 5% dos entrevistados. Segundo Dzik, a pesquisa permite entender o que o cliente procura. “Estamos atentos às pesquisas e tentamos adaptar o produto às necessidades do cliente”, informa.

Querer morar em apartamentos menor, foi a resposta de 12% dos pesquisados. De acordo com Dzik, normalmente esse público procura apartamentos compactos, em uma mistura de desejo, potencial de compra e etapa da vida. O imóvel para moradia é a escolha para 96%, enquanto apenas 2% querem para investimento.

“76% deles, procuram unidades de metro quadrados a 60 m². Na tipologia tem a grande concentração de dois dormitórios. Alguns, se encaixam em um dormitório, outros já pensando em filhos, família, se encaixam em três dormitório, mas 73% dessa base procurando dois dormitórios

Empregos. O CEO Vitacon Alexandre Frankel Lafer, concorda que a região com mobilidade de transporte e com facilidades para o dia a dia, são essenciais na hora de comprar um imóvel “O jovem quer um imóvel que fique próxima do trabalho, da faculdade, de cursos e do lazer com serviços e restaurantes. Também buscam regiões onde concentram empresas e empregos, como Vila Olímpia, o Itaim e o Jardins, por exemplo. Uma pesquisa entre nossos clientes mostra que 35% são jovens que optaram por residir na Vila Olímpia.”

Lafer lembra que as áreas comuns devem ser uma extensão do apartamento. Segundo ele, um dos motivos pelos quais a empresa investe em economia compartilhada, como wi-fi, lavanderia, depósito com refrigeramento para receber compras online, moto, carro e bicicleta.

Para Lafer, em geral eles buscam unidades menores, estúdios em torno de 25 a 35 metros quadrados. “O jovem não quer ficar dentro do apartamento, ele quer viver a cidade, e star onde tudo acontece primeiro.”

Na opinião do CEO da Danpris Construtora, Dante Seferian, até pelas condições financeiras, o jovem procura um imóvel menor, mais compacto, mas que tenha uma planta que atenda as suas necessidades e próximo a eixos de transporte e estrutura de comercio e serviços.

“Tenho um empreendimento de 48 metros quadrados e dois dormitórios que é o mais solicitado pelo público jovem. Tem desde o comprador que é jovem e vai morar sozinho e até o casado que compra um imóvel menor, que coube no bolso para depois fazer o upgrade.”

A área de lazer, academia, piscina, espaços infantis, segundo ele é mais importante para os casados ou quem está interessado em construir família.

Matéria publicada pelo, O Estado de São Paulo em 03 de abril de 2016

FOTO. Comum - Áreas de lazer são utilizadas de acordo com o momento de vida do morador